Click here to find the review atualizations

segunda-feira, 23 de agosto de 2021

Tudo o que é preciso incluir e resolver dentro de um relacionamento



Desde sempre, os homens foram ensinados a se vê num papel autoridade em relação a mulher. Tanto na vida pessoal, quantos aos relacionamentos. Está na memória de qualquer uma as vezes que suas opiniões e vontades foram desprezadas e anuladas como não importantes. Parte disso vem do ideal masculino como o provedor imponente. O papel de herói da figura fragilizada. Mas a autoridade costuma ser facilmente confundida com tirania. Ao considerar o aspecto de moça indefesa, também projeta como incapacidade de resolver problemas, a justificativa para não entregar a ela o poder de decisão. Sem voz ativa, suas opiniões são anuladas e desprezas.

E é aí que mora o perigo. Ser prepotente e inflexível vira lugar comum. Da mesma forma que do outro lado demanda o papel de submissão. Vamos aos exemplos práticos: como você decide quem vai ao restaurante? Como você decide quem vai dirigir? Como você decide quem vai ocupar aquele cargo? Como você decide quem tem a vez de falar? Como você toma decisões dentro de um relacionamento a dois? Como você quer satisfazer seus desejos? Como você decide sobre consentimento?


Há garotas que se acomodam e se sentem a vontade nessa posição. Mas só pelo conforto de não ter que assumir as responsabilidades pelos seus atos. O homem seria melhor sucedido se atribuísse novos significados ao seu papel em relação a sua companheira como os de: Proteger , Promover e Valorizar. Sem perder a masculinidade ou diminuir a capacidade dos seus feitos entender que liderar é também servir. No episódio de hoje é dedicado a entender cada aspecto dentro do contexto do relacionamento:





1. Proteger:

O homem só ativa seu instinto de proteção quando se sente ameaçado. O risco de perder o seu considerado “prêmio” ou “quo status” o faz enfrentar a situação. Mas quando faz isso é porque ele está preocupado com a segurança da pessoa ou com o seu próprio valor e autoestima? Ciúmes se torna uma um jogo de “se importar”. Já a proteção proteção vem sendo entendida como apenas ser educado. A cortesia é um brio social que aufere uma imagem sedutora. Ainda que descartada, quando não mais tida como necessária. Hoje vamos além do que isso pra provar que existem outras formas de ser protetor através de atos que a elas realmente se importam, que são ignoradas.


Ser respeitado se conquista ao voltar todas as suas atenções e energia para agir como respeito. Já entre mulheres sororidade não é um conceito tão exercitado, quanto é entre os homens, por isso estão sempre disputando a atenção deles por necessidade de aprovação através da conquista dos seus respectivos desejo. E é divertido vê isso acontecer porque é uma forma de ostentação. Não, não é divertido.


O território do relacionamento se torna um campo de batalha através dos ataques de desinformação, insinuação e blefe. Ou você se preocupa em construir a união e a convivência ou você se ocupa em miná-lo. A vaidade de se sentir disputado e harmonia necessária entram em conflito. O homem age em função de não ofender a honra de outro homem. Mas não são muito atentos quanto a ofender a honra de uma mulher. Descer do pedestal nesse caso é importante pra quem quer manter a unidade sem conflitos. Portanto esse problema deveria ser evitado ou resolvido. Se há alguma coisa que possa ser feito isso é: Demonstrações públicas de afeto atende as necessidades emocionais da mulher; Manter um laço inquebrável com alguém não significa ausência de conflito, apenas que existe um objetivo em comum de estar junto ou alcançar algo juntos; Estabelecer uma relação de confiança mútua como o alvo da sua preferência, o que inclui aceitar as decisões dela também; e proximidade.

2. Promover :

E quando uma mulher expõe suas fraquezas, qual tendência provável da maioria dos homens? Mulheres são muito cobradas a serem profissionais acima da média, uma dama irrepreensível, mãe dedicada e uma excelente amante. Isso é uma visão de fora do que se espera do comportamento dela. Mas cada uma tem suas metas pessoais de vida que gostaria de alcançar. O que se espera dessa situação é um suporte emocional. É sobre o que companheirismo se trata. O apoio necessário para que desenvolva ao máximo o potencial dela. Se interessar pelo que faz melhor e ajudar, da mesma forma que ela faz por você.

3. Valorizar:


Cada aspecto descrito acima está diretamente ligado ao grau de proximidade que deseja construir junto com uma pessoa. No caso hoje se trata de relacionamento. Mas também, vale a pergunta de como resolver a situação quando se trata de uma relação de amizade? E de uma subordinada? de uma chefe? O que acontece é fugir, subjugar e competir e isso não é valorizar.